domingo, 16 de fevereiro de 2014

NA MEMÓRIA: Poucos sabem que Jabu é 'o atacante da Cidade do Clima'

Engenheiro e ex-jogador, Jabu atuou profissionalmente por três clubes sãocarlenses
(Foto: Gustavo Curvelo)
Escrito por Gustavo Curvelo e Saulo Marino

O nome Adilson Martins de Oliveira, 62 anos, pode não soar familiar para a maioria dos Sãocarlenses, mas o apelido Jabu é inconfundível. Nascido e criado na Cidade do Clima, atualmente é proprietário de uma loja de engenharia elétrica no centro de São Carlos. O que poucos sabem, é que esse grande apoiador do esporte era um atacante dos bons, a ponto de ter se tornado jogador profissional.
“Comecei a jogar futebol na Vila Nery. Passei também por Paulistinha, futebol de salão pelo Diocesano, e joguei o amador em São Carlos antes de ser profissionalizado”, lembra Jabu, que teve filosofia de vida semelhante ao do Dr. Sócrates, ex-Corinthians, não deixando de lado os estudos para jogar futebol. “Não tinha nenhuma preocupação quanto ao profissionalismo. O esporte pra mim sempre foi um hobby, um lazer, e por isso nunca me senti pressionado. Comecei a jogar profissionalmente quando iniciei meu curso de Engenharia, e encerrei a carreira futebolística no término da faculdade. Meu pensamento sempre foi ser engenheiro e estudar”.
Foi em 1974 que o então atacante Jabu iniciou sua carreira profissional pelos gramados, vestindo a camisa do extinto Estrela da Bela Vista. A passagem pelo clube foi marcante, principalmente por ser um time formado basicamente por jogadores da cidade. “Fiquei uma temporada no Estrela, e chegamos até as fases finais do Campeonato Paulista [da Segunda Divisão] com um time basicamente montado por jogadores de São Carlos. Tínhamos um bom time, com bons jogadores e um padrão de jogo forte”, recorda.
Depois da passagem pelo time da Família Ratti, Jabu se transferiu para outra agremiação extinta, o Madrugada Esporte Clube. No MEC, o atleta ficou durante a temporada de 1975, a única que o clube jogou profissionalmente. “Era um time jovem, com atletas da cidade e que foi formado não pra competir, mas sim pra participar”, comenta, referindo-se ao time que foi eliminado ainda na primeira fase do Campeonato Paulista da Terceira Divisão daquele ano.
Mesmo com a campanha ruim, a equipe cumpriu seus objetivos e o atacante se destacou a ponto de ser contratado para defender o time de maior expressão da cidade, o Grêmio Sãocarlense, onde jogou o Campeonato Paulista da Segunda Divisão de 1976. “Tive vários momentos marcantes na carreira. Talvez o de maior alegria foi em um amistoso que o Grêmio fez contra o Matsubara, vice-campeão paranaense naquele ano. Eu estava voltando de contusão naquele dia e ganhamos o jogo por 4 a 1. Fiz três gols e dei o passe para o outro”, relembra Jabu, que também foi o autor do primeiro gol do estádio do Luisão após a instalação das torres de iluminação - feito que aconteceu no dia 7 de setembro de 1976, quando o Lobão bateu a Ferroviária por 1 a 0.

Após a passagem pelo Sãocarlense, o jogador decidiu se aposentar dos gramados para dedicar-se a Engenharia, mas nunca deixou de apoiar o esporte local. “Pra gente que gosta de futebol e da cidade, sempre buscamos colaborar. Na época do Grêmio, a Jabu Elétrica patrocinou a equipe, assim como atualmente ajudamos o São Carlos e o Paulistinha. Sabemos que o futebol é difícil, e buscamos apoiar para ajudar os clubes da cidade”, completa o Dr. Jabu, um dos únicos que teve a oportunidade de defender três times profissionais da Cidade do Clima. Agradáveis recordações.

Nenhum comentário:

Postar um comentário